Fibromialgia: entenda mais sobre a doença em que a dor nunca acaba

By 4 de outubro de 2021Saúde
Mulher deitada na cama com Fibromialgia
Aluguel

A Fibromialgia ainda é um grande mistério para a medicina. A doença ficou mundialmente famosa quando, em 2017, a cantora internacional Lady Gaga cancelou sua participação no Rock in Rio em decorrência da doença. Aqui no Brasil, esse mal já atinge ao menos 3% da população, segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

Caracterizada por uma dor crônica, as causas da síndrome ainda são desconhecidas. Confira nesse artigo quais os sintomas mais comuns da doença e como é feito o diagnóstico e o tratamento.

Fibromialgia, o que é?

A Fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dores generalizadas por longos períodos, assim como por uma maior sensibilidade nas articulações, tendões, músculos e tecidos moles. A dor é considerada generalizada quando atinge tanto o lado direito quanto esquerdo do corpo, assim como as partes acima e abaixo da cintura. Quase sempre ela surge em uma parte específica do corpo, se espalhando posteriormente.

A dor pode ser sentida tanto nos ossos quanto na musculatura que os envolve. Diferentemente de outras doenças, não há inchaço nas articulações, uma vez que não há um processo inflamatório. A sensação de inchaço em alguns pacientes é uma decorrência da dor.

Principais sintomas de Fibromialgia

Para além das dores, que com o tempo podem se tornar insuportáveis, outros sintomas costumam acompanhar a síndrome, tais quais:

  • Fadiga (cansaço);
  • Sono não reparador (a pessoa acorda cansada);
  • Síndrome das pernas inquietas ao dormir;
  • Alterações de memórias e atenção;
  • Ansiedade e depressão;
  • Alterações intestinais.

Causas da Fibromialgia

As causas exatas dessa síndrome ainda são desconhecidas. O que se sabe é que ela costuma surgir entre os 30 anos e 60 anos, especialmente em mulheres. De cada 10 pacientes com Fibromialgia, 7 a 9 são mulheres.

Acredita-se que ela possa surgir a partir de uma predisposição genética, uma vez que é comum observar a síndrome em membros de uma mesma família. Em muitos casos, a fibromialgia se desenvolveu após algum trauma grave na vida do paciente, seja ele físico ou psicológico. A doença também pode aparecer após um quadro de infecção grave.

Diagnóstico da Fibromialgia

O Diagnóstico da Fibromialgia é realizado de forma clínica por um clínico geral ou reumatologista. Ou seja, não há nenhum tipo de exame que comprove a síndrome. De modo geral, exames clínicos são pedidos para descartar outras possíveis doenças com sintomas e características parecidas.

Tratamento da Fibromialgia

De forma geral, a fibromialgia é tratada de forma multidisciplinar, unindo tratamento medicamentoso a outros tipos de cuidados. Uma vez que não existe cura para a doença, o foco do tratamento é aliviar os sintomas, evitar a incapacidade física e melhorar a saúde e a qualidade de vida do paciente de maneira geral.

Os medicamentos mais utilizados são analgésicos, e alguns tipos de antidepressivos e anti epilépticos que também possuem esse tipo de ação.

Entre os cuidados não medicamentos estão:

  • Fisioterapia;
  • Exercícios e preparo físico;
  • Procedimentos para alívio das dores e do estresse físico como massagens relaxantes, acupuntura e técnicas de relaxamento;
  • Terapia cognitivo comportamental;
  • Mudanças de hábitos como alimentação mais saudável, evitando cafeína e com uma boa rotina de descanso.

É importante frisar a importância da terapia cognitiva durante esse processo para ajudar a controlar pensamentos negativos, identificar o que agrava os sintomas assim como buscar por atividades prazerosas e aprender a estabelecer limites.

No caso do surgimento dos sintomas, é busque pela orientação de um clínico geral ou reumatologista.

Aluguel 2

Leave a Reply